sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Afinal, o que é timidez?

Falar sobre timidez é falar sobre minha própria história. Afinal, eu já fui uma típica garota tímida. Na escola, era raro eu levantar a mão nas aulas para fazer perguntas ou comentários. Também tinha muita dificuldade em fazer novas amizades e falar em público era praticamente um drama. Poderia fazer parte do meu jeito de ser, da minha personalidade todo este acanhamento, mas com o passar dos anos fui percebendo que havia algo de errado. Só demorei um pouco para saber o que era.

Sempre gostei de escrever e no meu diário eu registrava muita coisa, e várias delas eram ideias que eu queria compartilhar, mas não tinha coragem. Ele sempre ficava escondido dentro do meu guarda-roupa e ai de mim se alguém pegasse e lesse algo. Sim, eu guardava alguns segredos nele, coisas que contava apenas às amigas mais íntimas e havia mesmo aquelas que só eu mesma sabia ( e depois descobri que Deus também sabia de tudo). Mas outras coisas poderiam ser interessantes para mostrar às pessoas, como letras de músicas criadas (ok, eram bobinhas, mas faziam sentido), poemas (e até tinha parceria com uma grande amiga do colégio, guardo a "nossa" agenda até hoje) e textos bem legais dignos de um blog (agora ficou mais fácil fazer isso, né?).

O tempo passou, a Faculdade de Comunicação mudou um pouco dessa história. Sempre fui voltada para o Jornalismo Impresso e me encantei com o Jornalismo Digital, ou seja, essa era a minha resposta quando perguntavam quando eu iria apresentar a previsão do tempo ou ser âncora de telejornal. Mas seja qual for o tipo de Jornalismo, é preciso entrar em contato com pessoas - telefone, e-mail, pessoalmente ou simplesmente a matéria não decola. É difícil ainda lutar contra o estereótipo de que todo o jornalista é muito descolado, extrovertido. Aliás, as pessoas costumam rotular tudo Mas eu mudei muito. Cresci, amadureci e a cada dia novos paradigmas têm sido quebrados. Uns facilmente, outros a duras penas. É preciso ser comunicativo, mas não é necessário ser "amiguinho de todo o mundo".

Bem, vamos retomar o título deste post: Afinal de contas, o que é timidez? Vamos buscar definições nos dicionários. Claro que, com o passar do tempo, algumas expressões vão ganhando contornos diferentes, significados que podem até mesmo ficarem distantes do original.

Segundo o Priberam:
s. f.
1. Qualidade de tímido.
2. Falta de desembaraço.
3. Acanhamento.

Segundo o Michaelis:
sf (tímido+ez) 1 Qualidade de tímido; acanhamento excessivo. 2 Fraqueza de ânimo. Antôn: audácia, desembaraço.

Segundo o Aurélio:
s.f. Caráter de quem é tímido; falta de coragem. / Insegurança; acanhamento; inibição.

Agora, segundo Lidiane Ferreira, a garota que vos escreve (rs). Algumas palavras chamam minha atenção: acanhamento (excessivo), fraqueza de ânimo, falta de coragem, insegurança. E eu insisto em concordar com elas e vou explicar o porquê disso.

Com o passar dos anos, fui tentando entender o porquê de eu ser tímida. Personalidade? Trauma? Os dois? O que eu sei é que precisava esclarecer isso logo e tentar modificar alguns comportamentos, pois estavam trazendo algumas desvantagens e prejuízos.

Primeiro, percebi que a timidez dava-se conta do medo, do receio. Sim, marcar presença, aparecer, mostrar-se igualava-se, ao meu ver, em estar suscetível a pedradas (literal e figurativamente). E se eu errar? E se virem e apontarem meus defeitos? E se for rejeitada? Eram algumas dessas questões que me faziam não levantar a mão ou não falar para o público em algumas oportunidades. Eu sabia a resposta certa, mas não falava. Faltava coragem e havia insegurança em mim mesma de que eu pudesse apenas participar, independente de estar certa ou não.

Segundo, é puro orgulho. A questão do medo fez-me pensar sobre o chamado "temor do homem". Sim, porque as perguntas apresentadas tendem gerar a conclusão de que a timidez explica-se pelo medo de ser rejeitado pelas outras pessoas. Isso faz muito sentido. No entanto, não é a resposta completa, é apenas uma parte. O medo de ser rejeitado pelos outros volta-se para a própria pessoa. Como? Ela quer ser sempre bem vista pelos outros. Atitude normal, claro, ninguém quer ser mal visto. Só que esse pensamento gera o excesso - e os excessos são perigosos - e aí duas coisas acontecem: (1) a pessoa finge ser algo que não é; (2) a pessoa esconde-se em sua timidez. Orgulho. Necessidade de estar acima ou parecer melhor do que os outros.

Opa! Alto lá! Se eu parasse por aí, certamente os leitores iriam achar que timidez é ruim. Eu também cheguei a pensar nisso por algum momento, mas descobri que não é bem assim. Faz parte da personalidade da pessoa. Há os introvertidos e os extrovertidos. As pessoas são diferentes (graças a Deus por isso!). Mas, o excesso de timidez é um problema. Isso, o excesso e não ela em sim mesma. Não precisa querer conversar com todas as pessoas que encontra, ser sempre visto, etc. Precisa sim falar a palavra certa na hora certa. Defender seus direitos e os dos outros. Não ter medo de receber críticas ou de ser rejeitado. Fazer aquilo que deve fazer.

A propósito, ainda sou tímida, mas não de forma excessiva como antes!

Post correlato:

Ninguém nasce sabendo

Livros interessantes para pensar o assunto:
*Bíblia (leia a história de Moisés no livro de Êxodo ou de Jeremias no livro homônimo)
*Ídolos do Coração, de Elize Fitzpatrick
*Quando as pessoas são grande e Deus é pequeno, de Edward T. Welch

8 comentários:

ت Ricardo Carvalho ت disse...

Lidi,
Por incrível que pareça, eu também sou naturalmente tímido. Pelos mesmos motivos que você citou. O medo e o orgulho. Às vezes mais pelo medo do que pelo orgulho. Quando estamos em um ambiente diferente, com pessoas desconhecidas, ficamos receosos em falar ou fazer algo. Mas quando enfrentamos esse "medo", o que era um receio torna-se natural. Imagine um pastor com medo de falar em público. É lógico que ele terá que enfrentar sempre esse medo, mas que se torna natural com o tempo. A timidez sempre existirá, mas ela pode ser controlada quando se acostuma com aquilo. Na primeira vez que toquei na igreja eu estava muito assustado, mas acabei me acostumando. Ainda fico nervoso todas as vezes, mas aprendi a lidar com isso.

Eliade disse...

Timidez varia de tímido para tímido. Eu, por exemplo, sou bastante extrovertido e quase ninguém acredita que sou tímido, já que minha timidez ataca em situações específicas como: falar no telefone, conhecer pessoas novas, falar para um público desconhecido (não é um "mero" falar em público) e por aí vai =P

Cleisen Pereira disse...

Pois é... acreditem ou não, me considero um tímido. Sei que é só em primeira instância. Acontece qndo eu sou recém-chegado em determinado ambiente. Se eu me deparo com algo novo acompanhado por pessoas conhecidas, eu consigo tirar de letra e sou o gaiato que mtos acreditam ser minha verdadeira personalidade. Excelente texto, Lidi!

Lidiane Ferreira disse...

Oi, rapazes! Gostei muito do comentários de vocês!

Acredito que vocês são tímidos. Antes era difícil eu pensar nisso, já que sempre achei que rapazes não pudessem ter timidez. Como tempo, fui vendo que não era bem assim.

Como vocês, também sou tímida (pelo menos hoje em dia) em situações específicas. Quando não conheço as pessoas ou estou em um grupo grande, fico mais calada, observo e só falo depois de pensar muito rs. Mas, com o tempo e contato, vou ficando mais desinibida.

A timidez não é ruim... o excesso dela é que é muito ruim e faz a gente se esconder e deixar de aproveitar muitas oportunidades.

Obrigada pelos comentários e elogios. Beijos!

Lídice disse...

Eita, Lidi! Até nisso nós nos parecemos!!! Como você, eu já melhorei bastante. Acredito que a fonte minha timidez seja a grande expectativa que deposito sobre mim mesma. De como quero que me enxerguem. "Porque se eu me expuser, eles verão minhas limitações", assim eu pensava, e as vezes ainda penso.

Muito bom post!
Valeu Lidi

Lidiane Ferreira disse...

Até nisso nos parecemos, hein Lidi? rsrsrs Nem me surpreendo mais com nossas coisinhas em cimum! Uhum, também pensava muito acerca de me expor e as pessoas verem meus defeitos. Mas a gente tem que aprender que ninguém é perfeito e fazer aquilo que a gente tem que fazer, mesmo que pareça estranho aos outros. Viver é arriscar-se. Obrigada pelo comentário! Beijos!

Ana Carolina*** disse...

Depois de ler isso, me veio um flashback de qdo éramos crianças e nossa, como vc era tímida!! Tão tímida q ficava toda vermelha e lembro tb q uma forma de te deixar beem tímida era qdo falávamos (Eu, Manuela e Kerley) q vc gostava de Maurício (Eu acho q era esse o nome dele), rsrs . Vc ficava com uma vergonha, talvez hj seria considerado bulling, kkk.
Fico feliz que vc superou parte da sua timidez. No meu caso, sou q nem um das pessoas acima. Tenho momentos pontuais de timidez, como: me apresentar para uma platéia (foi um fiasco a minha apresentação de Iniciação Científica), reivindicar algo, paquerar (ridículo, mas admito), me apresentar a novas pessoas, entre outras coisas.
O que mais odeio é quando me criticam, dizem para eu mudar como se timidez fosse um "botão cerebral" - turn on/off. *Momento desabafo*
Esse comentário está se estendendo. Veja só, se eu fosse falar, caberia em um tweet. Definitivamente, escrever é meu melhor meio de expressão. rsrs

Bjos!

Lidiane Ferreira disse...

Menina! Achei que só eu me lembrava dessas resenhas do primário kkkkkkk ri muito aqui!
Sim, o nome dele é esse. Há uns 3 anos atrás, ele me achou no Orkut (bendito Orkut! rsrs) e foi bem engraçado isso.

Pois é, eu sou menos tímida do que naquela época, graças a Deus, mas sei que ainda preciso melhorar em algumas coisas. Mas a vida é assim mesmo... a gente sempre caminha pra melhorar.

Gostei demais do seu comentário. Beijo!