segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Persuasão

Há um tempo atrás, conheci mais uma personagem de Jane Austen. Seu nome é Anne Elliot e seu grande defeito é se deixar levar demais pelos conselhos dos outros (leia-se Lady Russell). O nome do livro - mas até então eu apenas assisti o filme - é Persuasão e o tempo decorrido entre seu grande sonho e a remota possibilidade de um final feliz é oito anos e meio. 

Oito anos e meio... quase uma década! Dizem que a gente nunca esquece um grande amor e, de fato, Anne continuou a nutrir seu sentimento por Frederick Wenthwort. Mas será que ele ainda sentia o mesmo? E aí a mente dela é invadida por uma enxurrada de especulações. Os fatos vão acontecendo pouco a pouco e mais especulações. Ficar cogitando coisas sem fatos concretos é mais comum do que se imagina, mas é tão perigoso! O erro que ela cometeu no passado a fez se arrepender, mesmo oito anos e meio depois. Será que repetiria? Uma carta mudou tudo! 

"You Pierce My Soul" 

Não posso mais ouvir em silêncio. Preciso falar com você pelos meios de que disponho neste momento. Você partiu minha alma. Sou metade agonia, metade esperança. Não me diga que é tarde demais, que sentimentos tão preciosos foram-se para sempre. Ofereço-me para você de novo com um coração muito mais seu do que quando você quase o despedaçou há oito anos e meio atrás. Não se atreva a dizer que o homem esquece mais rápido do que a mulher, que seu amor morre mais cedo. Eu tenho amado somente você, mais ninguém. Injusto posso ter sido, fraco e ressentido também, mas nunca inconstante. Você, apenas você trouxe-me para Bath. Faço planos pensando somente em você. Você não ainda percebeu? Terá você falhado em entender meus desejos? Eu não teria esperado nem estes dez dias se tivesse podido ler seus sentimentos como eu penso que você penetrou nos meus. Quase não posso escrever. A todo instante ouço alguma coisa que me atordoa. Você abaixa sua voz, mas eu posso distinguir seus tons mesmo quando perdidos em meio aos outros. Boníssima e excelente criatura! Você nos faz justiça, deveras. Você crê que há afeto verdadeiro e constância entre os homens. Creia “nisto” mais fervoroso e constante em

F. W. 

Devo partir – incerto de minha sorte –, mas voltarei aqui ou irei para sua festa, assim que possível. Uma palavra, um olhar, será o suficiente para que eu decida entrar na casa de seu pai esta noite, ou nunca.

Para quem gosta de spoilers ou ficou muito curioso para ver a reação dela... 



 Ok, quero muito ler esse livro!

2 comentários:

Francisco Netto disse...

Cara Lidiane Ferreira, paz e parabéns pela sua página digital. Vim conhecer e felicitar por mais um ano novo. Gostei pela qualidade do conteúdo e facilidade do entendimento nas suas palavras...

Persuasão [...] é um tema corrente e atual. Todo protagonista necessariamente se utiliza dela, seja ele letrista, poeta, vendedor, palestrante, arauto, etc. Parabéns! Muito bom o seu texto.

Aproveito e a convido a visitar e opinar no meu blog.

http://wwwteologiavivaeeficaz.blogspot.com/

Profº Francisco Netto

Lidiane Ferreira disse...

Olá!
Muito obrigada pelo comentário.
Hum... vou dar uma olhada no seu blog.
Abraço!