domingo, 2 de janeiro de 2011

Pessoas

Pessoas são únicas. Sim, isso mesmo. Cada pessoa é um ser único. Pode até parecer mais uma frase clichê, mas estou disposta a desenvolver mais este tema para que você tire suas próprias conclusões. Ou não (rsrs, piada interna dos meus amigos blogueiros).

À medida que o tempo passa, você aprende coisas novas. Cada dia é um novo dia para o aprendizado. E você até escolhe o que faz com o que aprendeu: ou esquece, deixa para trás (eu, pelo menos, não me lembro mais das fórmulas de Física e Matemática da escola rs) ou guarda-os e usa-os de alguma forma.

Sempre fui muito observadora. Mas, de uns cinco anos pra cá, acho que essa habilidade tem sido aperfeiçoada. Meus olhos começaram a ficar menos ingênuos e mais atentos a cada peculiaridade minha e dos outros ao meu redor.

Antes que você pense que vou começar a apontar defeitos nos outros - afinal, as pessoas observadoras demais geralmente tem este defeito - falarei apenas de qualidades. Quando digo que o ser humano é único, é porque cada pessoa tem um conjunto de características que a torna diferente de todos os demais. Até os irmãos gêmeos não são 100% idênticos.

Cada indivíduo possui uma habilidade na qual se destaca. Conheço pessoas que tocam instrumentos musicais de forma fantástica. Outros cantam muitíssimo bem. Outros são ótimos oradores. Alguns escrevem de forma excelente. Outros tem a incrível habilidade de se relacionar com diferentes tipos de pessoas. Outros têm a capacidade de desenhar coisas geniais. E mais alguns constroem peças incríveis. E ainda outros ensinam com afinco. E há os que sabem fazer rir. Outros são bem organizados. Uns sabem liderar com sabedoria. E por aí vai... não haveria tempo e espaço para elencar tantas habilidades disponíveis.

Achava, antes, que apenas algumas pessoas eram privilegiadas com habilidades. No entanto, com o tempo e a constante observação, percebi que cada um de nós tem algo especial. Cada um tem uma habilidade. O problema é que nem todos se dão conta disso. Ou mesmo são estimulados a exercerem seus dons e talentos. Aliás, a falta de incentivo tem levado muitas pessoas a seguirem um rumo muito diferente daquele que deveriam e/ou poderiam seguir. Como no nosso país, o Brasil. Lugar que poderia ser celeiro para grandes atletas, cientistas e artistas. Mas a desigualdade social e o descaso com a educação tem enterrado muitos talentos.

Também vejo outras pessoas anulando-se, acreditando que certas habilidades são melhores do que outras. Não está certo. Cada talento é importante. É como o corpo humano: nenhum órgão é pior ou melhor do que o outro, todos devem cumprir de forma correta a função para a qual foram criados. Se você ler, na Bíblia, os textos de Romanos 12 e 1 Coríntios 12, vai entender melhor acerca disso.

Cada pessoa é única, volto a escrever. E talvez falte a cada pessoa perceber isso. Notar que o fato de ser diferente torna-a especial. E isso é tão engraçado! Porque várias vezes me questionei sobre mim mesma e sobre o fato de eu ser tão diferente dos outros. Por eu sempre saber me expressar mais pela escrita. Ou pelo fato de gostar de coisas muito diferentes. De ser meio nerd, de ter sido considerada CDF na escola, de curtir músicas de estilos distintos e gostar  também de filmes distintos, de ser aficcionada por leitura. De gostar demais de música em inglês. E tantas outras coisas que me fazem sentir diferente mesmo. E isso é bom, porque me incomoda a ideia de seguir qualquer tipo de estereótipo (e devo ter falado sobre isso em um outro post).

Um mosaico. Cada pessoa é como um mosaico. Um livro escrito todos os dias, cujas páginas são sempre recheadas de surpresas. Cada pessoa é única e especial. E cada um precisa se dar conta disso. A propósito, a foto acima é apenas uma das minhas facetas (a veia romântica, talvez). 

2 comentários:

Mia Dailan. disse...

ai ai
nem da pra dizer o quanto voce é especial Lidi
saudades amiga

abraços

Lidiane Ferreira disse...

Saudade tem 2 viés:

1. Estar distante de alguém que gosta muito;

2.Lembrar-se com carinho da pessoa da qual gosta.

Sinto sua falta, Mai/Mia.

Beijo!